28 abril 2008

A Manhã de 28-04-2008

Manhã de Segunda Feira, 28 de Abril de 2008
Toca a sair da cama cedo. Toca a fazer a higiene pessoal num estante. Há que despachar. O pequeno almoço está à nossa espera.

E isto tudo às 05.00 da manhã.
Pequeno almoço de pequenas dimensões. Parece que algumas das tropas não foram esticar os ossos.
Outros que dormiram no corredor até apresentavam uma regular aparência.
Ás 6.00 começou a viagem de carro. Miúdos a dormir. O Paulo a disfarçar. O Zé Miguel levou uma hora nas orelhas e isto porque teve afirmações que não se coadunam com o espírito de grupo que se pretende para o nosso Clube de Veterannos. Foi a viagem toda. Tudo foi dito e esclarecido.
Mas também... quem não tiver pecado que atire a primeira pedra...
Depois da viagem, em que alguns ainda tentaram brincar, chegámos ás 07.30 ao aeroporto de Basileia... mas sem a disposição de há uns dias atrás. Carregámos as malas sem grandes brincadeiras e os rostos das pessoas mostravam um envelhecimento superior a cem anos.
Cumprimentos e Despedidas. Mutzig ficava irremediavelmente para trás...
Nesta viagem de volta os policias alfandegários apertaram mais. Sempre em filinhas, bem definidas, lá fomos andando.
Durante este tempo o João Luis ficou à rasca. E porquê? O Zé Henrique estava ao pé do João e quando a policia o chamou e lhe começou a perguntar porque é que não apresentava os documentos do filho e porque é que não o levava ele ficou azul. E o filho nem era dele, mas como ele não percebia nada esteve uns momentos apertadissimo. Quando eu disse que o íudo estava comigo e as coisas se esclareceram a cara do João Luis lá voltou ao normal.
Mais... o Joaquim Casimiro foi apanhado com a naifa do filho no saco. Eu não vi...mas conta quem esteve ao pé dele que se ele não morreu naquele dia tem mais cinquenta anos de vida.

Mas tudo se encaminhou...
Ás 09.30 horas lá apanhámos o avião de regresso.

Mas nem aqui se conseguiu passar despercebido. O L. Jacinto até num avião de easyjet ressonou... foi um fartote e um grande incómodo para os vizinhos.
O Luis Baião esteve em black out toda a manhã... não deu nenhuma entrevista à imprensa.
Por volta das 12.00 horas lá chegámos e no meu caso particular coma mala toda rebentada e aberta.
No autocarro até Alcácer do Sal não houve pormenores picantes a acrescentar.
Chegada às 14.00 horas.
Para muitos almoço no «Aldeias»...para matar a fome do dia e da comida alentejana.

Para todos Lar Doce Lar.

E assim resta-nos desejar a todos os que nos proporcionaram esta deslocação um Muito Obrigado.
Mais...
Agradecer aos Veteranos de Alcácer do Sal os bons momentos me proporcionaram e desejar que para os próximos anos existam mais oportunidades destas.

SALUT MUTZIG

Sem comentários: