26 abril 2008

A Noite de 25-04-2008

Noite de Sexta-Feira, 25 de Abril de 2008
Esta foi uma noite como todas as outras passadas em Mutzig e por isso muito do texto que aqui vão ler também vai aparecer nas próximas duas noites.
E o que é que isto significa, perguntam os leitores?
Significa que todos demos o nosso melhor... que todos perdemos o nosso tempo à conversa... que todos perdemos o nosso tempo a comer... que todos perdemos o nosso tempo a beber... que todos perdemos o nosso tempo a dançar...
E não pensem que perdemos tempo... saibam que foi um tempo de festa, em que não se sabe que dia é nem que horas são nem onde se está... apenas se festeja.
E este foi o nosso 25 de Abril. O melhor de todos já passado com os nossos amigos.
Tempo calmo e sereno. Tempo de beber uns tintos e umas imperiais ( E digo uma coisa que nunca esperei dizer: o vinho branco daquela zona era um espectáculo...).
Mas vamos aos pormenores mais licorosos...

Em primeiro lugar o jantarinho.
Neste primeiro momento de aproximação aos divinos manjares de Mutzig apresentaram-nos um conjunto de entradas muito saborosas e todas condimentadas.
Como prato principal calhou-nos um empadão de carne.
Depois de matarmos a fominha, que era imensa, os diálogos começaram a acontecer de uma forma calorosa.
O "Monsieur Gordo", que estava à minha beira, começou a apresentar as suas ideias sobre a politica, em particular a politica camarária. Houve algumas trocas de argumentos mas os vereadores puseram muita água na fogueira.
Afinal aquele não era o momento de tomar decisões sobre as obras e a cultura de Alcácer do Sal.
Em seguida vieram as sobremesas. Todas caseiras. Quem as fez foram as mulheres dos jogadores. Estavam uma maravilha. O pessoal à minha volta provou de todas. Uma fatia de cada. - Foi um exagero meus gulosos...
Depois da arrumação dos pratos e dos talheres veio a arrumação das mesas.
Em segundo lugar vieram os aperitivos.
Os jogadores começaram a encostar ao balcão. A Imperial e o Whiskey começou a jorrar nos copos e os rostos brilhavam de alegria. O Luís Baião já não sabia quantos balões tinha enchido. O Filipe da Conceição apresentava um estado de pura concentração. Ele não queria perder nada do que estava a acontecer neste momento. O Madeira levava sempre quatro na bandeja.
O pessoal estava agora bem regado e preparado.
Por fim e em terceiro lugar a musica começou a tocar e num espaço agradável "apareceu" o baile.
O salão de baile estava pronto e eles estavam todos tão bonitos.
Com uma música ambiente de cinco estrelas dançou quem quiz dançar. Houve de tudo.. rock, slow e até tango.
Foi uma noite em que todos puderam mostrar os seus dotes de bailarino. Tudo culminou com um rock&roll em que o Zé Reis atirou com uma «velha» ao chão. Ela ia tendo um AVC...
Mais notícias sobre este espaço musical serão apresentadas amanhã. Porque o que aconteceu a cada um em particular só na manhã seguinte se soube...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
E assim se passou o 25 de Abril. Depois o pessoal começou a ir para a caminha. Depois, foi só subir as escadas.
E nessa noite foi só para ambientar... pois nas seguintes houve alterações profundas que implicaram "moto-serras" e mudanças de camas...
Mas amanhã já vão ver...
Amanhã os comentários de cada um e de todos vão mostrar mais do que aconteceu nesta primeira noite...
Bon Nuit...

Sem comentários: