27 abril 2008

A Noite de 26-04-2008

Noite de Sábado, 26 de Abril de 2008
Esta foi a segunda noite passada em Mutzig. E foi mais uma noite, como todas as outras noites.
E o que é que isto significa?
Significa que todos, mais um dia, demos o nosso melhor... que todos conversámos... que todos comemos... que todos bebemos... que todos dançamos... e que quase todos dormiram.
Tempo calmo e sereno. Tempo de festa.
Mas vamos aos pormenores mais ilustres...
Em primeiro lugar o jantarinho.

Neste maravilhoso jantarinho, pós - jogo, foi posto em cima da mesa, mais uma vez, um batalhão de entradas muito saborosas e todas condimentadas.
Como prato principal apareceu à mesa um receituário tradicional da zona a cujo nome não tive acesso... mas era constituido por batata, couve, cebola, carne(s) e... tipo cozido mas com molho e dentro de umas caçarolas...
Se alguém souber o nome... pode enviar a informação por e-mail. Era muito saboroso...
Depois de matarmos a fominha, que era imensa, devido ao jogo de futebol a música começou a tocar e começou a ser difícil conversas... E sem falar o pessoal começou a ficar distraído.
- Para que Mademoiselle estes rapazes estariam a olhar? Pergunto eu..
Em seguida vieram as sobremesas. Todas caseiras. Estavam uma maravilha. O pessoal, que «gosta pouco de doces», não teve mãos a medir.
Neste momento a música parou e a troca de prendas teve lugar.
Os discursos começaram...
Depois os discursos terminaram...
Os jogadores começaram a encostar ao balcão. A Imperial e o Whiskey começou a jorrar nos copos e os rostos brilhavam de alegria.
O nosso Joaquim Casimiro foi por estas horas considerado o "Rei da Noite", The King...
Ora bebia, ora dançava...
Ora sentado, ora de pé...
Ora dançava, ora bebia...
( Houve outros que afirmaram que ele estava a "encantar" o ambiente).
O pessoal estava agora bem regado e preparado.
A música, tocada por um grupo de «quarentões» revivia os anos oitenta e noventa.
Os dançarinos e algumas dançarinas mostravam os seus dotes.
Foi sempre a abrir. Rock e Slows..
Os nossos «pesos pesados» pareciam borboletas a dançar.
( Ora reparem... estiveram a poupar-se no jogo para se entregarem de corpo e alma à dança... deram tudo o que tinham)
Com uma música ambiente de cinco estrelas dançou quem quis dançar.
Quando aconteceu o intervalo na música o José Reis quis brilhar e foi para a bateria. Brilhou... mas a bateria não estava, literalmente, à sua altura.
Depois veio o baterista e o Zé foi para a conga.
Aqui sim... foi um espectáculo...só quem viu... e mesmo o pessoal do grupo ficou de boca aberta...
Então o grupo musical voltou a tocar. E agora tiveram de dar o máximo... para mandar o pessoal para a cama...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
Mais uma música, mais uma imperial...
Quando o música parou e o salão de baile foi arranjado houve quem conseguisse ainda fazer um concurso de hinos nacionais.
Eram 3.00 da manhã e a coisa nem correu mal pelo que se vê. Um «garçon» até punha a mão no peito para uma melhor estética da coisa...
E assim se passou a noite de 26 de Abril. Depois o pessoal começou a ir para a caminha. Foi só subir as escadas.
E o espectaculo lá em cima era estrondoso. Alguns ressonavam tão alto que se ouvia nos corredores. Eram autenticas "moto-serras" e...
O barulho era tanto que houve um menino que até dormiu no corredor.
- Vejam lá se descobrem quem é...
Só posso dizer que foi pai há pouco tempo e para o ano já tem contrato assinado por este Clube.
Mais um dedo de conversa, mais uma imperial...
Mais uma anedota, mais uma imperial...
Mais um rumor, mais uma imperial...
Depois veio a abaladiça...
... e por fim...
Good Night,
Ma mére,
Hasta manãna,
Se Deus quiser...










1 comentário:

Herminia disse...

Ora cá vai a informaçao(ao fim de alguma pesquisa e recolher de informaçoes ... é que isto de nao ser uma genuina Alsacienne torna a coisa mais dificil)
O tal prato de carnes e legumes chama-se "Baekeoffe" (lê-se Bekof ... atençao a pronuncia do "e" em frances é diferente da do portugues)
O dito prato é cozinhado em tacho de barro num forno de padeiro.
Leva um guizado de batatas em camadas com muita cebola, cenouras e diversas carnes (porco, vaca, carneiro e por vezes de pato) previamente marinadas em vinho branco seco de Alsace.
Este prato é tipico da regiao e segundo o que apurei tem varias versoes da sua origem. Uma delas seria quando as senhoras iam à missa depositavam o tacho no padeiro da vila para que o almoço cozinhasse enquanto elas estavam na missa. A outra versao, é que este prato era confeccionado às 2as. feiras enquanto elas lavavam a roupa no tanque da vila ou no rio, o almoço cozia no forno do padeiro.

Espero ter sido util ...

Fico feliz, pelo relato da estadia em Alsace percebi que gostaram da visita à minha santa terrinha.