10 março 2015

Terceiro dia: regresso a casa!

Depois do jogo e da festa tínhamos de começar a despedir-nos desta bela cidade. O mais difícil estava feito: só tínhamos de reunir a comitiva e regressar a casa. Todos queríamos regressar a Alcácer do Sal. É sempre bom regressar ao nosso lar. Já havia saudades da nossa querida cidade e das nossas gentes.

Mas antes....
Depois de mais umas poucas horas de sono tocou o despertador. O pequeno almoço estava à nossa espera mas, devido ao seu horário, só os mais madrugadores conseguiam tomar a primeira refeição do dia. Umas sandes e um copo de sumo natural conseguiam repor as energias para mais um longo dia.
Em seguida regressámos aos quartos para arrumar os sacos. Já não regressaríamos ao quarto. Os sacos dos praticantes ficavam numa sala à guarda do Hotel. Em breve estávamos a caminho de Amesterdão, para comprar umas pequenas recordações.

Depois de uns minutos de comboio chegamos, mais uma vez à Central Station, no centro da cidade. (Claro que esta viagem de comboio teria muitas histórias para contar. Bilhetes, revisores, corridas, grupos separados, conversas em holandês... um sem número de pormenores, que vieram a acabar da melhor forma.)

Estava uma manhã cheia de sol e decidimos dar uma volta de barco pelos canais de Amesterdão.
Apanhamos o barco em LeidsPlein, perto da estação Central, e durante um par de horas percorremos o rio e os canais da cidade. Uma viagem a Amesterdão exige um passeio pelos seus canais, o que permite conhecer ainda melhor as duas belezas paisagísticas e arquitectónicas.
Devagar, ao ritmo do dia solarengo, navegamos pelo rio Amstel, pelos canais e pelos diques. Vimos, de uma perspectiva diferente o Red Light District, os CoffeShops e até o Mercado das Flores. Nada como saborear Amesterdão logo pela manhã!
Quando o percurso acabou o grupo mostrou curiosidade em visitar a Casa - Museu de Anne Frank. Depois de reunidos traçamos uma rota para aí chegar rapidamente e, em jeito de passeio, percorremos mais umas ruas da cidade: passámos na Praça Dam - enorme centro histórico rodeado de monumentos -, na Catedral de Amesterdão - onde o Mister José Lime entrou para agradecer a vitória, do dia anterior -, no Museu Madame Tussauds - famoso pelas suas estátuas de cera- e chegámos rapidamente ao destino.
Quando chegámos à Casa - Museu de Anne Frank nem queríamos acreditar: tinha uma fila em caracol, para tirar o bilhete, que dava a volta ao quarteirão. Claro que a situação nos impediu a visita, mas sempre conseguimos tirar umas fotos. Nós estivemos lá!
Mais um passeio e estava na hora do almoço. Voltámos ao restaurante argentino e comemos mais uma saborosa posta de carne grelhada. Mais uma vez fomos bem servidos e o chefe «sírio», foi outra vez muito simpático.
Estava na hora. Tínhamos de de regressar ao hotel  para apanhar as malas. Uns momentos de descanso e o grupo estava todo reunido para ir para o aeroporto. Todos juntos mais uma vez, o que nem sempre era possível.
O resto da história já todos conhecem: mais umas horas de avião até Lisboa e finalmente uma viagem recatada, de autocarro, até Alcácer do Sal.
A aventura terminou. E tudo correu absolutamente perfeito.


Viva o Alcácer do Sal Futebol Clube - Veteranos!





(Em construção)

Sem comentários: